O projeto “Difusão da memória social através da imprensa em ljuí e Rio Grande do Sul: conservação do acervo de jornais e acesso eletrônico às publicações sobre a revolução farroupilha (1838-1840) e o cooperativismo regional (1973-1994)” está na fase de execução pela Associação de Amigos do Museu  Antropológico Diretor Pestana e o MADP. O projeto é financiado pelo Pró-Cultura RS – Governo do Estado do Rio Grande do Sul – Edital SEDAC nº 07/2021 do Concurso FAC Patrimônio.

Dois equipamentos foram adquiridos para a melhoria do laboratório de reprodução documental, local onde os documentos do acervo preservado pelo Museu são digitalizados para gerar arquivos digitais de representação dos originais, de modo a facilitar o acesso ao conteúdo pelos pesquisadores e evitar o manuseio, contribuindo para a conservação do papel e de outros materiais preservados. O primeiro equipamento a ser instalado foi um ar-condicionado para a manutenção das condições climáticas do ambiente, conforme os padrões recomendados de temperatura e umidade relativa do ar, monitorados diariamente. O segundo equipamento instalado foi um scanner de mesa para documentos de grande dimensão como jornais, cartazes e mapas, que inclui vários tamanhos como A3 e A2. A digitalização de 2 páginas de jornal, por exemplo, pode ocorrer em menos de 40 segundos, mantendo-se a alta qualidade de resolução em formato recomendado por normas arquivísticas. No projeto, os documentos selecionados para a reprodução de preservação e de acesso à pesquisa foram as edições Cotrijornal (1973-1994) e O Povo (1838-1840).

Para a atividade de digitalização, contratou-se uma estagiária do curso técnico de informática da Escola Técnica Estadual 25 de Julho, que muito tem contribuído com o processamento.   

 

Amanda Keiko Higashi, Arquivista do Museu Antropológico Diretor Pestana.