MADP EM NÚMEROS

O ano de 2022 foi marcado pela retomada integral das atividades do Museu de forma presencial, tanto nas suas pesquisas quanto nas visitações.

Vários projetos foram desenvolvidos, contando com o apoio da comunidade e instituições, estas caracterizadas como importantes agentes dentro do fazer museológico e arquivístico. 

Confira aqui os números referente às atividades que o Museu realizou neste ano.

 

EXPOSIÇÃO DE LONGA DURAÇÃO 

A Exposição de longa duração busca refletir sobre a formação do território de Ijuí nas suas diferentes formas de ocupação pela presença humana. No ano de 2022 a Exposição contou com 4.614 visitas.

 

EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS

As Exposições Temporárias do Madp se apresentam no formato expositivo dinâmico, no qual mensalmente são apresentadas à comunidade diferentes temáticas para reflexões nos espaços do Museu.

Foram realizadas 07 Exposições Temporárias ao longo de 2022, contando com a circulação de 9.949 visitantes. 

 

EXPOSIÇÕES ITINERANTES

As Exposições Itinerantes se caracterizam como projetos expositivos que circulam fora do ambiente físico do Madp, onde, por meio de parcerias, é possível levar as temáticas abordadas em Exposição para a comunidade. 

As Exposições Itinerantes atingiram o número de 8.645 visitantes fora do espaço do Museu, dentro da circulação de 08 projetos. 

 

CONVERSAS VIRTUAIS

Com temáticas ligadas à questão indígena, história de Ijuí, consciência negra e trabalho desenvolvido internamente pelo Museu, as Conversas Virtuais se firmam como uma atividade on-line contínua inserida no trabalho de difusão da Instituição.

Foram realizadas 06 conversas virtuais, atingindo o total de 1.816 participantes.

 

EVENTOS

Os eventos promovidos  se apresentam como forma de estimular a comunidade a ocupar os diferentes espaços do Museu.  

Cine Debate e Domingo no Museu são exemplos destas atividades, no qual foram atingidos 568 participantes.

 

PROJETOS

Os projetos viabilizam economicamente a realização de atividades inerentes ao Museu. Neste ano foram executados ou estão sendo desenvolvidos 03 projetos.

 

PESQUISADORES

No ano de 2022 foram realizadas 360 pesquisas no Museu, seja de forma on-line ou de forma presencial.

A pesquisa está atrelada às atividades do Madp, no qual permite a investigação por meio de dados sobre o objeto/documento no seu contexto histórico e social salvaguardados nas coleções preservadas no Museu.

 

Texto por Fabrício de Souza, Assistente do Museu Antropológico Diretor Pestana.


Produção de Jogos Virtuais Educativos para o Museu Antropológico Diretor Pestana

Nos últimos tempos o uso da tecnologia como ferramenta aliada ao processo educativo tem sido uma tendência e o MADP tem procurado acompanhar esse processo tanto em sua Exposição de Longa Duração, onde foram instalados oito monitores touch que permitem o público acessar informações complementares ao acervo exposto, como também mantendo um canal de interatividade através das mídias sociais.

A inserção de jogos virtuais nos monitores da Exposição de Longa Duração e nas mídias sociais irão possibilitar ao Museu uma maior aproximação com o público, especialmente jovem que estão acostumados a essas novas formas de aprendizagem como também estimular a busca de mais conhecimentos sobre a história e cultura de Ijuí e região.

A produção do jogo “Território”, em muito contribuirá para o debate que se estabelece na seção Primeiros Habitantes do RS e nas Exposições Temporárias com esta temática a respeito do conceito de território na concepção indígena, que é bastante diferente da lógica implantada pelo colonizador. A questão de território, sustentabilidade, equilíbrio e respeito à diversidade são assuntos que ainda hoje geram conflitos e debates. Promover essa reflexão é premente a fim de conscientizar as novas gerações para que seja possível no futuro uma relação mais harmônica e respeitosa para com os remanescentes dos primeiros habitantes desta terra.

O jogo de “Quebra-cabeças Virtuais'', com fotos do acervo do Museu possibilitam de maneira lúdica, a apropriação de informações sobre a história de nosso município e região. Pretende-se fazer conjuntos de fotos abordando temáticas relacionadas ao processo de ocupação do território noroeste do RS, ocupado a partir do final do Século 19 com colonizadores de diversos países europeus. Para ter um alcance regional, atingindo a área de influência do Museu, as fotografias selecionadas serão representativas de um conjunto de atividades comuns nesta região, sendo passíveis de serem usadas por educadores e visitantes de outros municípios.

Clique aqui para jogar! 


Jornal O Povo

O Museu Antropológico Diretor Pestana preserva as edições de O Povo: jornal político, literário e ministerial da República Rio Grandense, produzido por Luigi Rossetti, um jornalista italiano, carbonário e participante da Guerra dos Farrapos. Rossetti recebeu o apoio e financiamento do líder farroupilha Domingos José de Almeida durante a produção, resultando em 160 edições publicadas entre 1838 e 1840, sempre aos sábados e quartas-feiras, com média de 9 edições mensais, impressas em Piratini e em Caçapava do Sul. No último ano de circulação do periódico, houve uma queda de publicações atingindo pouco mais de 3 edições ao mês e possivelmente, seu fim decorreu das dificuldades do conflito.
Conforme o título propriamente dito, considera-se um jornal político por divulgar os ideais republicanos e combater o regime imperial brasileiro, de modo a transmitir as convicções revolucionárias através das matérias. Portanto, percebe-se o esforço de propaganda e educação política. Também é literário pelas informações culturais e de interesse geral do cotidiano na província, tais como oferta de negócios e ocorrências policiais. Em sua dimensão ministerial, o conteúdo é direcionado aos atos administrativos do Governo Farrapo e acontecimentos da guerra. Assim, compreende-se um jornal de ideias e um testemunho sobre um dos mais marcantes eventos da história rio-grandense, por isso, uma valiosa fonte documental. Dada a importância histórica, em 1930, o Museu e Archivo Histórico do Rio Grande do Sul, reproduziu as edições no formato de publicação fac-símile.

No MADP, há 2 exemplares do fac-símile que traz as 160 edições de O Povo, cuja digitalização está sendo realizada a partir do projeto “Difusão da memória social através da imprensa em Ijuí e Rio Grande do Sul: conservação do acervo de jornais e acesso eletrônico às publicações sobre a Revolução Farroupilha (1838-1840) e o cooperativismo regional (1973-1994)”. Este projeto recebe financiamento do Pró-Cultura RS – Governo do Estado do Rio Grande do Sul, aprovado no Concurso FAC Patrimônio, Edital SEDAC no 07/2021. A iniciativa de reproduzir o periódico para o meio digital oportuniza a preservação dos exemplares em papel e especialmente facilita o acesso ao seu conteúdo à comunidade interessada.

Texto por Amanda Keiko Higashi, arquivista e colaboradora do Museu Antropológico Diretor Pestana.
Informações históricas: colaboração do Prof. Jaeme Callai, professor de História Unijuí; texto do fac-simile O Povo: jornal político, literário e ministerial da República Rio Grandense. Série Documentos interessantes para o estudo da grande revolução de 1835-1845, v.1. Publicação do Terceiro Departamento (História Nacional) do Museu e Archivo Histórico do Rio Grande do Sul (Museu Júlio de Castilhos). Porto Alegre: Livraria do Globo, 1930.

 


Cine Debate no Museu + Clínica Devir

Na noite de ontem, 28 de novembro de 2022, às 19h30 no auditório do Museu, , aconteceu no a exibição do filme “Medida Provisória”, marcando a primeira edição do projeto que vem sendo pensado para ter sua continuidade nos próximos meses.

O longa-metragem estrelado por Alfred Enoch, Taís Araújo e Seu Jorge, e dirigido por Lázaro Ramos, no qual foi inspirado na peça teatral “Namíbia, Não”, escrita por Aldri Anunciação. A obra se passa em um futuro Brasil distópico preconceituoso e racista. A ficção especulativa distópica apresentada no filme age enquanto intervenção social, instigadora de controvérsias do e no espaço público. 

Após a exibição Rafael da Silva Tassotti, psicólogo graduado pela Unijuí e pesquisador na área de psicanálise e cinema; e Nathália das Neves Teixeira, Advogada, Especialista em Direito Tributário, Pós-graduanda em Direito Civil e Processo Civil e Mestranda em Direitos Humanos pela UNIJUÍ, formaram a mesa de debate, estimulando o público presente a refletir sobre as questões abordadas pelo filme, promovendo assim um espaço de diálogo que interligava os participantes e a obra. 

O Cine Debate é uma iniciativa do Museu Antropológico Diretor Pestana, em parceria com a Clínica Devir, no qual serão disponibilizados longas-metragens em determinados meses para discutir, de forma coletiva, as questões que transcorrem sobre eles. A partir da exibição a comunidade é convidada a se inserir nas reflexões através de facilitadores que auxiliarão no movimento da roda de conversa. 

 


Conversa virtual sobre práticas museológicas acontece na próxima terça-feira no canal de Youtube do Museu

Na próxima terça-feira, dia 29 de novembro, às 15h, acontecerá a transmissão da conversa virtual “Práticas museológicas em reserva técnica”, no Canal do Youtube do Museu (https://www.youtube.com/museuantropologicodiretorpestana), no qual abordará os resultados do projeto Mecenato de revitalização da reserva técnica, que encontra-se na reta final. A conversa visa problematizar os processos desenvolvidos, bem como os desafios da documentação e da conservação dos objetos.

O encontro terá a presença de Noris Leal, Doutora em Memória Social e Patrimônio Cultural pela Universidade Federal de Pelotas - UFPel. Professora Adjunta e membro colegiado do Bacharelado em Museologia - UFPel; e Aline Mota, bacharel em Museologia pela Universidade Federal de Pelotas e Museóloga do Museu Antropológico Diretor Pestana - Ijuí.

O objetivo desta conversa virtual é apresentar à comunidade as melhorias executadas em prol da preservação do acervo em reserva técnica desenvolvida por meio do Projeto Plano Plurianual de Atividades: Documentação Museológica e Manutenção do Acervo do Museu Antropológico Diretor Pestana aprovado pelo Ministério da Cidadania, PRONAC 192683, com captação e execução de 2020 a 2022.

Os participantes do evento receberão a certificação de participação de 2h. Inscrições disponíveis através do link: https://forms.gle/EyBmt2GQynjDUwru6

 


Museu realiza Conversa Virtual sobre Consciência Negra

Na manhã de hoje, dia 17 de novembro de 2022, aconteceu a conversa virtual “Consciência Negra: o negro na história do Brasil e o racismo”, evento online realizado pelo Museu Antropológico Diretor Pestana (Ijuí) em parceria com Museu Marcos Bresolin (Pejuçara) e Centro Cultural Jorge Logemann (Horinzontina), instituições de cultura da região noroeste do estado.

A mesa de conversa foi integrada por Nathalia das Neves Teixeira, advogada, especialista em Direito Tributário, pós-graduanda em Direito Civil e Processo Civil e Mestranda em Direitos Humanos pela Unijuí e Sandro Máximo Campos da Silva, professor da rede pública de Ijuí e Mestre em Educação nas Ciências, no qual abordaram temáticas históricas e atuais sobre o racismo, convidando o público para refletir sobre questões que permeiam o assunto.

Para quem perdeu a transmissão é possível acompanhar na íntegra a conversa no Canal do Youtube do Museu, clicando aqui. 

A atividade contou com mais de 480 participantes, contemplando escolas de Ijuí e região marcando assim mais uma atividade do Museu relacionada ao Mês da Consciência Negra.

Já deixamos o convite para a próxima atividade do Museu: o Cine Debate. No dia 28 de novembro, às 19h30 no Auditório do Museu, será exibido o filme “Medida Provisória", longa-metragem estrelado por Alfred Enoch, Taís Araújo e Seu Jorge, e dirigido por Lázaro Ramos, no qual foi inspirado na peça teatral “Namíbia, Não”, escrita por Aldri Anunciação.

O evento que tem entrada gratuita será promovido em parceria com a Clínica Devir.

Participe!

 


Projeto de conservação e difusão do acervo de imprensa e a valorização da memória social

O projeto “Difusão da memória social através da imprensa em ljuí e Rio Grande do Sul: conservação do acervo de jornais e acesso eletrônico às publicações sobre a revolução farroupilha (1838-1840) e o cooperativismo regional (1973-1994)” está na fase de execução pela Associação de Amigos do Museu  Antropológico Diretor Pestana e o MADP. O projeto é financiado pelo Pró-Cultura RS - Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Edital SEDAC nº 07/2021 do Concurso FAC Patrimônio.

Dois equipamentos foram adquiridos para a melhoria do laboratório de reprodução documental, local onde os documentos do acervo preservado pelo Museu são digitalizados para gerar arquivos digitais de representação dos originais, de modo a facilitar o acesso ao conteúdo pelos pesquisadores e evitar o manuseio, contribuindo para a conservação do papel e de outros materiais preservados. O primeiro equipamento a ser instalado foi um ar-condicionado para a manutenção das condições climáticas do ambiente, conforme os padrões recomendados de temperatura e umidade relativa do ar, monitorados diariamente. O segundo equipamento instalado foi um scanner de mesa para documentos de grande dimensão como jornais, cartazes e mapas, que inclui vários tamanhos como A3 e A2. A digitalização de 2 páginas de jornal, por exemplo, pode ocorrer em menos de 40 segundos, mantendo-se a alta qualidade de resolução em formato recomendado por normas arquivísticas. No projeto, os documentos selecionados para a reprodução de preservação e de acesso à pesquisa foram as edições Cotrijornal (1973-1994) e O Povo (1838-1840).

Para a atividade de digitalização, contratou-se uma estagiária do curso técnico de informática da Escola Técnica Estadual 25 de Julho, que muito tem contribuído com o processamento.   

 

Amanda Keiko Higashi, Arquivista do Museu Antropológico Diretor Pestana.

 


Projeto de conservação e difusão valoriza a memória social do Rio Grande do Sul através do acervo de imprensa

A Associação de Amigos do Museu  Antropológico Diretor Pestana e o MADP estão executando o projeto “Difusão da memória social através da imprensa em ljuí e Rio Grande do Sul: conservação do acervo de jornais e acesso eletrônico às publicações sobre a revolução farroupilha (1838-1840) e o cooperativismo regional (1973-1994)”, através de financiamento do Pró-Cultura RS - Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Edital SEDAC nº 07/2021 do Concurso FAC Patrimônio. O projeto tem como meta geral a aquisição de equipamentos para conservação preventiva do acervo de jornais e a digitalização de alguns títulos dessa coleção, a fim de garantir a preservação em longo prazo dos originais, por meio do acesso aos representantes digitais e seu inventário pela internet. A hemeroteca existente no Museu representa a memória da imprensa de Ijuí e parte do Estado do Rio Grande do Sul, incluindo exemplos como, Jornal da Manhã (ainda produzido desde 1973), Correio Serrano (1917-1988) e Die Serra Post (1919-1984). As ações executadas prevê melhorias no armazenamento dos originais de toda a coleção e facilitará a consulta das edições dos títulos Cotrijornal (1973-1994) e O Povo (1838-1840). O Cotrijornal, produzido pela Cooperativa Tritícola Serrana Ltda (COTRIJUÍ), reúne 225 edições e integra a memória do movimento cooperativista gaúcho, um tema bastante procurado nas áreas que tratam do desenvolvimento regional. O Povo é caracterizado como um jornal político, literário e ministerial da República Rio Grandense, que foi produzido pelo governo em Piratini no período que abrange a Revolução Farroupilha. Assim, como toda instituição que preserva documentos de valor histórico, o Museu busca garantir as condições adequadas de conservação, como também garantir o acesso da comunidade ao patrimônio documental.

 

Amanda Keiko Higashi, Arquivista do Museu Antropológico Diretor Pestana.

 


De forma gratuita, Museu abre neste domingo para celebrar a “16ª Primavera dos Museus”

Com entrada gratuita, o Museu abre neste domingo, dia 25 de setembro, para celebrar mais uma edição da “Primavera dos Museus”, que neste ano traz a temática sobre a “Independências e museus: outros 200, outras histórias”, tema escolhido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) para a temporada de eventos socioculturais, a serem realizados durante a 16ª da edição.

O início das atividades acontecerá a partir das 14h, onde a comunidade será convidada para visitação nas Exposições Temporárias “Feito à Mão” e “Afro-brasileiros no noroeste do RS”, e também prestigiar a Exposição de Longa Duração, exposição que retrata a ocupação e presença humana em Ijuí e região.

Também acontecerá a primeira interação do público com os jogos virtuais do Madp,  no qual a instituição foi contemplada na 8ª edição do Prêmio Darcy Ribeiro 2021 e apresentará os produtos desenvolvidos.

Com a ação identificada como “Produção de Jogos Virtuais Educativo para o Museu Antropológico Diretor Pestana”, a comunidade poderá entrar em contato com as duas produções:  o jogo “Território”, onde por meio de fases, o usuário deverá montar um mapa sobre a ocupação do território do Rio Grande do Sul, ocupação que compreende desde os primeiros habitantes há 12 mil anos, percorrendo um caminho que nos traz até os dias atuais. O jogo apresenta o conceito de território na concepção indígena, que é bastante diferente da lógica implantada pelo colonizador.

Outra proposta é a produção de “Quebra-cabeças Virtuais'', que a partir da escolha do jogador, deverá montar o quebra-cabeças com fotos do acervo do Museu possibilitam de maneira lúdica, a apropriação de informações sobre a história de nosso município e região. 

Você é o nosso convidado, venha nos visitar!

 


Encontro no Museu

Em parceria com a Associação Ijuiense de Proteção ao Meio Ambiente Natural - AIPAN, Ponto de Cultura, o Museu Antropológico Diretor Pestana promove o  Encontro “Tecendo com as mãos: a prática do crochê”, na Sala de Pesquisa, com entrada gratuita.

Esta atividade traz como foco a valorização da cultura popular materializada pelo saber e pelo fazer sobre peças têxteis. A partir de uma roda de conversa mediada por Vera Lúcia Silva, a comunidade será convidada a trocar experiências e práticas relacionadas ao ofício do crochê.

A oficina está relacionada à Exposição Temporária “Feito à mão: representações do acervo têxtil do Madp”, também se fazendo presente na programação do 4º Dia Estadual do Patrimônio.

O evento busca interligar atividades de nível estadual para fortalecer o reconhecimento e  valorização das referências culturais regionais, especialmente com ações que busquem refletir sobre os direitos e deveres com relação ao patrimônio cultural.